Terça-feira, 14.04.09

Esta terça-feira é o dia internacional do café



publicado por Paulo Rodrigues às 15:13 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 20.02.09

 

De seu nome João Fernandes Campos Café Filho foi o 26º Presidente do Brasil.

 

Nascido em Rio Grande do Norte (a 3 de Fevereiro de 1899) trabalhou como jornalista e advogado durante a juventude. Em 1933 fundou o Partido Social Nacionalista (PSN) do Rio Grande do Norte e, alguns anos mais tarde, o Partido Republicano Progressista (PRP).

 

Em 1950 foi indicado para a vice-presidência do governo de Getúlio Vargas, tendo completado o seu mandato após este ter cometido suicídio, em 1954. Exerceu o seu cargo entre 24 de Agosto de 1954 e 8 de Novembro de 1955.
Faleceu a 20 de Fevereiro de 1970.


publicado por Paulo Rodrigues às 19:12 | link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Terça-feira, 20.01.09

 

 

Sob fortes medidas de segurança, o 44º presidente eleito dos EUA, Barack Obama, toma hoje posse em Washington frente a cerca de dois milhões de pessoas. Estará Obama preparado para corresponder às expectativas criadas à sua volta? Só o tempo o dirá. 

 

Mas o que tem Barack Obama a ver com café? Nada, e é exactamente por isso que decidi acrescentar este post. Calma, eu explico. O jornal britânico “The Daily Telegraph” publicou uma lista com 50 factos curiosos sobre Obama. Além de revelar quais os filmes, livros e artistas preferidos do mais recente inquilino da Casa Branca, a lista refere ainda que Obama não toma café e que raramente bebe álcool. 

 

Então Obama não bebe café!? Para mim esta notícia caiu que nem uma bomba fazendo-me temer pelo futuro. Como conseguirá Obama ter o discernimento necessário para, durante aquelas reuniões importantíssimas (iguais às que vemos nos filmes), tomar todas as decisões que supostamente irão resolver os problemas da crise financeira mundial, da violência no Médio Oriente e da escolha de uma cão para as suas filhas? Sem café não é possível! Ainda nos arriscamos a ver mísseis a voar por todo o lado ou, pior ainda, a ter um gato siamês ou mesmo um periquito na Casa Branca. São coisas que teremos de evitar a todo o custo e, para isso, Obama terá de aprender a gostar de café. A solução passaria talvez por abrir uma franquia da Brasileira ou do Majestic em Washington com serviço de entrega ao domicílio. Sim, porque não basta beber café, é preciso que este seja bem tirado, daqueles que deixariam os beiços do homem mais poderoso do mundo cheios de creme. Só assim poderá ainda existir uma réstia de esperança no futuro.
No entanto (ou meanwhile como se diz em inglês), enquanto o sr. Obama não se decide a beber café, penso que todos nós poderemos dar-lhe uma ajuda. Sugiro então que, doravante, sempre que estejamos prestes a tomar o nosso precioso café (seja uma bica ou cimbalino), pensemos um pouco no discurso e nas promessas de Obama, no fim da guerra e da crise, num mundo com menos poluição, sem racismo, onde a tolerância e a paz possam existir entre os povos e onde os nossos filhos possam viver como irmãos. Talvez assim, com este pequeno momento de reflexão durante o café, consigamos alterar um pouquinho o nosso comportamento e tomarmos nas nossas mãos o desafio de construir o tal “mundo melhor”  que  todos  desejamos  mas  que  pouco  fazemos para  alcançar.  Será  que  conseguimos? I believe we can!

 



publicado por Paulo Rodrigues às 11:19 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 15.01.09

 

Tenho verificado que persiste ainda a dúvida relativamente à forma correcta de se escrever café expresso. Será espresso ou expresso? Os mais atentos decerto que já repararam que neste blog escrevi sempre “expresso”, o que tem uma razão de ser.

Um café expresso (do italiano caffè espresso) é uma bebida à base de café preparada pela passagem de água muito quente e sob pressão pelos grãos de café torrado moídos de forma muito fina. Espresso, em italiano significa assim “retirado sob pressão”. Em português, o termo “expresso” significa rapidez.
Uma vez que as máquinas para preparação deste tipo de bebida, utilizando a pressão de vapor,  foram desenvolvidas em Itália, poderíamos ser levados a pensar que o mais correcto seria escrever-se espresso.  No entanto, a preparação da bebida é também ela bastante rápida (entre 15 a 20 segundos) pelo que o termo “expresso” também se adequa perfeitamente.
Se, pela etimologia das palavras não conseguimos chegar a um consenso vejamos então o que se pode encontrar no vocabulário da nossa língua, o Português.  Embora seja bastante usual encontrar-se em diversos textos, a palavra “espresso” grafada, isto é, escrita com “s” não existe no vocabulário da Língua Portuguesa. No entanto, nos dicionários mais importantes da nossa língua existe a palavra “expresso” que se refere a um certo tipo de café tirado por máquina e com espuma. Desta forma, como o nosso idioma oficial é o português, a forma correcta de escrever será com “x”, ou seja, expresso.
O nosso vocabulário corrente admite palavras estrangeiras, como por exemplo software ou internet. No entanto, devemos distinguir aquelas que não foram incorporadas na nossa língua em definitivo ou por serem muito recentes (ambas devem ser escritas em itálico) daquelas que já o foram (sem itálico). Espresso é assim uma palavra estrangeira não incorporada na nossa língua, devendo por isso ser escrita em itálico.
Desta forma, em qualquer país cujo idioma oficial seja o português, sempre que nos estejamos a referir ao café preparado sob pressão de vapor deveremos escrever “expresso”. Caso queiramos utilizar a palavra italiana “espresso”, esta deverá ser escrita em itálico e apenas quando é nossa intenção conferir algum romantismo à escrita pois em português a palavra para designar este tipo de café existe e escreve-se “expresso”.

De qualquer das formas, felizmente que a qualidade do café não é determinada pela forma como se escreve mas sim por outros factores. Mas isso fica para uma próxima oportunidade…

 



publicado por Paulo Rodrigues às 12:47 | link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

Terça-feira, 06.01.09

Não existe um consenso relativamente à origem da palavra “bica”, normalmente utilizada para designar uma chávena de café em muitas zonas do país, especialmente em Lisboa.

Uma das versões refere que, quando surgiram em Portugal as primeiras máquinas de café expresso, os frequentadores dos estabelecimentos não estavam habituados ao seu sabor forte e amargo. Como consequência, este tipo de café não era muito pedido. Como forma de contornar este problema, foram colocados cartazes nos estabelecimentos com o slogan “Beba isto com açúcar”. A campanha resultou e, das iniciais de cada palavra (BICA) nasceu a designação para esta bebida.
Há quem refira que tudo isto se passou no mítico café A Brasileira do Chiado, sendo da iniciativa da gerência a criação do slogan com o objectivo de promover o consumo da bebida de uma forma agradável para os seus clientes.
Antes de passarmos à segunda versão para a origem da palavra “bica” vamos recuar um pouco no tempo no que se refere à preparação da bebida. Inicialmente, o café era preparado numa cafeteira com água a ferver, onde se dissolvia o café moído ou a cevada (o chamado café de cevada). Chamava-se a esta bebida “café de borras”, devido às amargas e incómodas borras que se formavam a partir do café não dissolvido. Para contornar esta situação surgiram “sacos” porosos cuja função era coar o café. Ainda hoje há quem prefira o chamado “café de saco”, recorrendo a filtros comprados em qualquer estabelecimento comercial e a máquinas modernas. Mais tarde surgiram umas máquinas de forma cilíndrica onde o café moído era dissolvido, coado e pressionado, sendo depois vertido para as chávenas, ou para os tradicionais copos de vidro grosso, através de uma torneira (bica).
Após esta pequena explicação, podemos então passar à segunda versão para a origem da “bica” e que tem como principal palco um dos mais míticos cafés alfacinhas.
A Brasileira do Chiado abriu as suas portas ao público a 19 de Novembro de 1905, vendendo o “genuíno café do Brasil”. Adriano Telles, seu fundador, vivera bastante tempo no Brasil, mantendo aí contactos que lhe permitiam importar café e outros produtos sem dificuldade. Três anos depois, o sucesso do estabelecimento levou a que se construísse uma Sala de Café, novidade na época e que rapidamente se tornou local de encontro obrigatório da elite da cidade de Lisboa. Advogados, médicos, jornalistas, artistas (entre eles Fernando Pessoa e Almada Negreiros), revolucionários e estudantes ali se juntavam para beber café e conversar. A partir de 1920, dizia-se inclusive que no Porto e em Coimbra se trabalhava e estudava e que em Lisboa se conversava e faziam revoluções. Nesse início de século não existiam ainda as máquinas de café expresso, sendo o café passado por sacos e vertido por uma torneirinha (bica) para cafeteiras utilizadas para servir o café à mesa. Nestas cafeteiras o café acabava invariavelmente por arrefecer e perder o seu aroma. Conta-se que um dia alguns clientes reclamaram da qualidade do café, sendo necessária a intervenção do proprietário que pediu a um empregado para encher uma chávena directamente da bica, ou seja, do saco. Com um sabor e aroma mais intensos, os clientes adoraram a bebida passando a pedir que o seu café fosse trazido directamente da bica numa chávena. Nasceu assim o termo “bica”.

 



publicado por Paulo Rodrigues às 14:47 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Domingo, 04.01.09

 

Lembrei-me de procurar pela internet citações de personalidades que incluíssem a palavra café. Não foi fácil, mas a busca ainda continua. É apenas uma brincadeira, mas conto com a ajuda de todos os que queiram contribuir com alguma frase que conheçam ou venham a descobrir. 

 

 "A amizade é como café, uma vez frio nunca volta o sabor original, mesmo aquecido."  (Immanuel Kant)

 

 "Se não há café para todos, não terá para ninguém."  (Ernesto Che Guevara)

 

 "A matemática é como um moinho de café que mói admiravelmente o que se lhe dá para moer, mas não devolve outra coisa senão o que se lhe deu."  (Faraday)

 

"O café é a bebida que desliza para o estômago e põe tudo em movimento"

"Quando bebemos café, as ideias marcham como um exército."  (Honoré de Balzac)

 

"Se isso é café, por favor tragam-me chá. Se isso é chá, por favor tragam-me café."  (Abraham Lincoln)

 

"O café deve estar quente como o inferno, ser negro como o diabo, puro como um anjo e doce como o amor."  (Charles-Maurice de Talleyrand-Périgord)

 

"O poder da mente do homem é directamente proporcional à quantidade de café que ele bebe."  (James Mackintosh)

 

"Se você quer melhorar a sua compreensão, beba café; é a bebida inteligente."  (Sidney Smith)

 

"É mais fácil trocar de religião do que de café."  (Georges Courteline)

 

"Os funcionários públicos nunca devem beber café depois do almoço. Faz com que percam o sono à tarde."  (Jilly Cooper)

 

"Atrás de toda a mulher próspera... existe uma quantidade significativa de café."  (Stephanie Piro)

 

"O café é o ouro do homem comum, e como o ouro, traz a todas as pessoas o sentimento de luxo e de nobreza."  (Abd al-Qadir)

 

"O café, de acordo com as mulheres dinamarquesas, é para o corpo o que a Palavra de Deus é para a alma."  (Karen Blixen)

 

"A necessidade básica do coração humano durante uma grande crise é uma boa chávena de café quente."  (Alexander King)

  



publicado por Paulo Rodrigues às 22:09 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

   

 

Diz uma lenda que, num dado momento do Século III d.C. na região da actual Etiópia, um jovem pastor de cabras da cidade de Kaffa chamado Kaldi ficou intrigado com a vitalidade das suas cabras ao comerem os frutos vermelhos de um arbusto nas montanhas abissínias. Ficavam frenéticas e saltitantes conseguindo percorrer longas distâncias sem demonstrar sinais de cansaço. Kaldi passou a alimentar as suas cabras com os frutos vermelhos e, passados alguns dias, também ele quis experimentar. O pastor gostou do efeito estimulante que os frutos lhe proporcionaram pois sentia-se alegre e bem-disposto, conseguindo resistir ao sono.

Kaldi contou a sua descoberta aos monges do mosteiro local mas estes não reagiram de forma favorável e atearam fogo aos frutos. No entanto, o aroma exalado pelos frutos torrados levou-os a reconsiderar e a recolher os frutos das cinzas. Esmagaram os grãos na água e fizeram uma infusão, descobrindo que este preparado os mantinha acordados durante os períodos de reza e de meditação. As notícias dos maravilhosos poderes desta nova bebida espalharam-se de mosteiro em mosteiro e a notícia não demorou a romper fronteiras. 

 

 


Tags: , ,

publicado por Paulo Rodrigues às 20:20 | link do post | comentar | favorito

Domingo, 28.12.08

Olá, este é o meu blog... o Coffee Shop!

Escolhi este nome porque adoro café. Adoro café e tudo o que diga respeito a essa maravilhosa bebida. Espero que este espaço seja o local onde possamos conversar sobre assuntos relacionados com o café (receitas, máquinas, marcas, curiosidades, etc), bem como sobre qualquer tema que simplesmente nos apeteça... importante ou nem por isso.

Por isso, puxe de uma cadeira e aprecie um cafézinho acabadinho de fazer.

 

Obrigado

 

Paulo Rodrigues

 



publicado por Paulo Rodrigues às 17:15 | link do post | comentar | favorito

Proprietário: Paulo Rodrigues
mais sobre mim
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Horário
Visitantes
Meteorologia
Weather Forecast | Weather Maps
Fase Lunar
Rádio
Tags

a brasileira do chiado

adriano telles

apresentação

barack obama

bica

brasil

café

café filho

citações

espresso

expresso

kaldi

lenda

personalidades

presidente

todas as tags

arquivos
Diversão
blogs SAPO
RSS